quinta-feira, 17 de maio de 2018

CON(TEXTUALIZANDO) - Coesão textual



Estou retomando, depois de uma longa pausa, a coluna Con(textualizando), que é um espaço para falar de alguns conceitos importantes dentro da produção textual. São conceitos que, como professora e acadêmica formada em Letras, eu pesquisei e estudei. O objetivo da coluna é apresentar conceitos teóricos de uma forma mais simples e direta, para ajudar quem estuda o tema, ou escritores e curiosos. 

Já escrevi anteriormente sobre: 



Hoje, tratarei da coesão textual. 

COESÃO TEXTUAL

"Boa sorte com a segunda sentença".


Como um texto não é uma simples sequência de frases, ele precisa seguir uma ordem lógica e também respeitar certas formalidades da língua. Os processos de coesão textual são os aspectos gramaticais, formais e superficiais da construção de um texto. Explicando de uma forma mais simplificada, podemos considerar que a coesão do texto são os recursos gramaticais e ortográficos que utilizamos para escrever o texto. 

Marcuschi (2008), considera a coesão dispensável para a textualidade, porém, não irrelevante. Para explicar essa consideração, vou usar alguns exemplos. Observe a imagem abaixo. 

Resultado de imagem para erros ortográficos

O texto contido na imagem não respeita as normas formais da gramática, pois ocorre erro ortográfico e também falta pontuação na segunda frase. Porém, mesmo com esses problemas, é possível entender a mensagem. Logo, a textualidade da informação se mantém. 
Por outro lado, textos em que pronomes, sinônimos, conjunções e outros recursos gramaticais são usados de forma incorreta transformarão o enunciado em algo ininteligível. Vejamos outro exemplo: 

Fizeram um pique-nique onde comeram sanduíches e batatas. Eles estavam aquecidos. Terminaram rápido. 

Nesse pequeno texto, ocorrem erros de referência que podem gerar duplo sentido. Vamos analisar as expressões destacadas. 
  • Onde está empregado de forma incorreta, pois só pode retomar lugares e nesse caso, estaria retomando o "pique-nique", um evento. O correto seria usar a expressão "em que" ou "no qual".
  • Eles se refere a quem: as pessoas que fizeram o pique-nique ou os sanduíches? Pelo contexto da frase, poderia ser qualquer um dos dois... O mesmo critério é válido para o verbo terminaram. 

Então, para ser compreendido, nem sempre um texto precisa estar 100% de acordo com a norma culta, porém, ao respeitar o uso de elementos gramaticais do texto, o autor dele estará produzindo um material com maior possibilidade de ser compreendido. Conhecer e aplicar corretamente as normas da nossa língua permite que nos expressemos com clareza. Claro que ninguém sabe de tudo e temos um sistema linguístico complexo, mas não custa nada se esforçar para usar a língua da forma mais correta possível quando escrevemos. Assim, construímos textos com sentido e clareza para nossos leitores.

REFERÊNCIAS: 

ADAM, J.M. A linguística textual: introdução à análise textual dos discursos. 2ªed. São Paulo:
Cortez, 2011.
MARCUSCHI, L.A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. 3ª ed. São Paulo:
Parábola Editorial, 2008.

*Imagens de autoria de Charles Schultz.

Nenhum comentário:

DIÁRIO DE MISSÃO – ÁRTEMIS 8

(TRECHO RECUPERADO PELA EXPEDIÇÃO ÁRTEMIS 11) 16 de agosto de 2030  Pousamos com sucesso em solo lunar. Os membros da tribulaçã...