quarta-feira, 5 de julho de 2017

A filha do escritor




Machado de Assis, um dos maiores autores da literatura brasileira, nunca teve filhos. Mas... E se tivesse tido uma filha? O livro A filha do escritor, de Gustavo Bernardo, publicado pela Agir, se baseia nessa hipótese.

A história inicia com a chegada de Lívia ao hospital em que trabalha o psiquiatra Joaquim. O médico logo se intriga com ela, pois a moça, muito bonita e tranquila, afirma ser filha do escritor Machado de Assis, mesmo que ele tenha morrido há mais de 100 anos. A paciente atrai todas as atenções do especialista, que passa a estudá-la quase obsessivamente, ao mesmo tempo em que mergulha nas obras de Machado de Assis, na tentativa de desvendar a doença de Lívia. 

A narrativa é feita pelo ponto de vista do psiquiatra, que parece "conversar" com alguém ao longo dos capítulos. Aliás, a forma como o autor fez essa construção se parece muito com uma característica da linguagem machadiana, que é dialogar com o leitor ao longo da escrita... 

Enquanto os encontros entre médico e paciente vão ocorrendo, o mistério ganha novos caminhos, pois cada pista descoberta por Joaquim leva o leitor a pensar em novas possibilidades para o rumo da história. O desfecho, infelizmente, não é tão surpreendente e confesso que, apesar de não ter "desgostado" dele, tive a impressão de que o autor poderia ter explorado de outra forma, talvez até mais fantástica, a trama inusitada que criou. 

O livro tem um bom ritmo, com capítulos rápidos de ler, numa linguagem bem atual e acessível ao leitor. Também é possível refletir sobre o papel da literatura na vida das pessoas e como o "excesso" de literatura poderia afetá-las (não que eu ache que possa existir excesso de literatura, mas enfim...).



Por fim, é bem interessante para quem gostaria de conhecer o trabalho de Machado, dados biográficos do autor e informações sobre sua obra. Pode ser uma excelente leitura para quem vai estudar o autor, ou está se preparando para ler suas obras. Da mesma forma, pode funcionar como uma revisão de informações para quem já leu a obra do autor.  No entanto, o melhor de tudo é que o livro não se prende a passar várias informações de forma enciclopédica para o leitor: os dados sobre Machado vão surgindo dentro da história, de forma bem costurada na trama de Joaquim e Lívia.

Então, se você é um leitor de Machado ou não, fica a indicação desse livro criativo e instigante. A filha do escritor não apenas é um bom livro de mistério, como também acrescenta várias curiosidades culturais ao seu repertório e deixará o leitor mais informado sobre o legado de um dos escritores mais importantes de nossa literatura.

Nenhum comentário: