segunda-feira, 20 de julho de 2015

My Little Monster (Tonari no Kaibutsu-kun)



Não sou uma leitora muito assídua de mangás (confesso que prefiro assistir animes e deixar os momentos de leitura para livros), mas de vez em quando leio algo do gênero, muitas vezes para saber o final de algum anime que comecei a acompanhar e que acabou antes de revelar o final da história. Foi esse o caso de My Little Monster (Tonari no Kaibutsu-kun).Gostei muito da história, mas o anime só cobre parte dela, deixando o final dos personagens indefinidos. Curiosa pela continuação dos fatos, fui atrás do mangá, que resenho hoje pra vocês.

A história parte da relação entre Haru e Shizuku. Os dois são estudantes do primeiro ano do Ensino Médio e enquanto ela só quer saber de estudar para construir o futuro que deseja, Haru é considerado por todos um delinquente, vive se metendo em brigas e mal vai à escola. Após levar uma suspensão por brigar com colegas, Haru para de frequentar as aulas.

Então, uma professora pede que Shizuku leve o material das aulas para o colega e a garota concorda após ficar combinado que a professora lhe dará um livro do qual ela precisa para seus estudos.

Shizuku vai até a casa de Haru levar o caderno mas o menino interpreta sua visita de uma forma um pouco errada. Ele acredita que o gesto dela faz deles amigos e começa a perseguir Shizuku, inclusive retornando às aulas.



Apesar do garoto ser um pouco assustador e estranho, Shizuku logo descobre que ele também é gentil e aceita a nova amizade. Apesar de não ter amigos, Shizuku acaba socializando Haru, pois como os dois andam juntos, os colegas começam a ver que ele não é tão ameaçador quando parece e PAS a se aproximar.

Logo Shikuzu, que não se interessava pelas pessoas, se vê cercada de novos amigos e também apaixonada por Haru, que corresponde seus sentimentos, apesar de não entender muito sobre emoções ou como se portar. Assim, juntos os dois tentarão descobrir o que é o amor, enquanto aprendem também a conservar as amizades que conquistaram.

Quando comecei a assistir o anime, me perguntava o que Haru faria a seguir e como Shizuku iria reagir. É bem difícil prever o que esses personagens tão opostos vão fazer e isso é uma das coisas mais legais dessa história: ela é surpreendente e engraçada de um jeito fofo.

Além do casal principal, ou outros personagens da trama também são bem explorados e ganham complexidade conforme a história avança. Haru vai se enturmando aos poucos, se tornando amigo daqueles que, como ele, se sentiam excluídos ou diferentes.



Enquanto tentava encontrar informações sobre o anime, descobri que Haru na verdade tem a Síndrome de Asperger, reconhecida há pouco tempo como uma forma mais branda de autismo. Portadores dessa síndrome não apresentam nenhum comprometimento cognitivo, e são, em muitos casos, pessoas de QI acima da média. Porém, elas têm dificuldades em lidar com seus sentimentos e têm tendência a serem literais em suas interpretações. Foi interessante encontrar essa informação e saber um pouco mais sobre essa condição. Também vale comentar que o mangá não cita a síndrome, mas em diversos momentos os familiares de Haru dão a entender que ele tem dificuldade para se ajustar na sociedade. A forma como Haru é representado e como suas descobertas o aproximam das pessoas é muito bonita, assim como o empenho dos seus novos amigos em aceitá-lo, mesmo que ele se comporte de forma inesperada em muitos casos.

Também é muito legal analisar que apesar de a família (no caso o pai e o irmão) do Haru ser um pouco negligente em relação a ele, há pessoas que passam a se importar com ele e a amá-lo como ele é. E essa lição que a história passa vale para qualquer pessoa: ninguém precisa mudar completamente a sua forma de ser e nem se esconder. Se esforçando um pouco para entender as pessoas, você encontrará pessoas que valorizam a sua companhia e se importam com você.

O grande mérito desse mangá é a forma como expõe as complexidades do sentimento humano através de uma história divertida e cheia de situações comuns à vida estudantil. Muito mais que um anime/mangá romântico e bonitinho, My Little Monster é uma história sensível, que deve agradar a quem gosta de histórias sobre sentimento e aceitação.

***

*Scans retirados do site MangaHost, que disponibiliza todos os 13 volumes do mangá para leitura online. 

*O anime está disponível na Netflix e tem 13 episódios (apesar de não cobrir todos os volumes do mangá). 

NOTA: Faz muito tempo que não escrevo uma resenha. Espero não estar enferrujada... 

Um comentário:

Juliana disse...

Acabei de ver esse anime ^^ E já estava querendo procurar o mangá XD tbm li sobre essa relação do personagem com asperger :] Obrigada pelo compartilhamento do link do mangá :D!!! Poderei terminar de ler! hehe.
Ah, sobre o post anterior, achei bem legal o seu local de trabalho! E o tema do tcc é interessante xD!
[]'s