quarta-feira, 16 de abril de 2014

A Seleção


Olá, pessoal.

Minha vida passou por algumas reviravoltas nessas últimas semanas e por isso não consegui manter o blog em dia, nem visitar os blogs dos amigos ou retribuir algumas visitas. O que aconteceu foi que troquei de emprego (comecei a trabalhar como professora do Mais Educação da disciplina de português e ainda estou trabalhando alguns dias na livraria, que está encerrando suas atividades) e com isso minha rotina mudou completamente. Além disso, fiquei sem internet em casa... Cancelei meu plano 3G e tive problemas com o servidor que ia contratar. Agora, finalmente está tudo certo para irem instalar, mas isso só deve acontecer em maio. Então, não estranhem se houver um intervalo maior entre as postagens ou se eu demorar pra retribuir suas visitas e comentários.
Dado esse recadinho, vou postar uma das muitas resenhas que tenho prontinhas aqui pra vocês. :)



TÍTULO: A Seleção
AUTORA: Kiera Cass
EDITORA: Seguinte (CIA das letras) 

A história se passa num futuro hipotético, no qual os Estados Unidos, depois de uma série de guerras, se transformaram num novo país chamado Illeá. Nesse país, o regime de governo é a monarquia, ou seja, há um rei que tem o poder de tudo.

A sociedade é dividida em castas, como na sociedade indiana, sendo que cada casta corresponde a um número, numa escala de 1 a 8, e cada uma tem certas carreiras possíveis e determinações a seguir.
America pertence à casta 5, na qual estão enquadrados músicos e artistas de maneira geral. Sua família passa algumas dificuldades, mas consegue manter-se razoavelmente bem e ela gosta bastante de seu trabalho, que envolve especialmente cantar e tocar piano e violino.

America é apaixonada por Aspen, um rapaz da casta 6, cuja família está sempre em dificuldades. Apesar de ser incomum e de isso significar ser rebaixada na escala social, ela sonha em se casar com ele.
Porém, com a chegada da Seleção, um evento no qual moças de todo o país, de qualquer classe, podem se inscrever para serem selecionadas e irem para o castelo, onde conhecerão o príncipe e poderão vir a ser a sua esposa, tudo na vida da garota mudará.

Com a pressão de sua mãe e algumas atitudes de Aspen, America concorda em se inscrever. Só que ela não imaginava que seria escolhida para ir até o castelo! Motivada por uma série de acontecimentos e pelo auxílio financeiro que poderá oferecer para a família, America parte para a Seleção. Ela não quer ter nada com o príncipe Maxon, mas ao conhecê-lo e ver que ele é diferente do que imaginava, propõe ser sua amiga e ajudá-lo ao longo do processo de escolha.

Era isso que eu queria. Não queria ser a princesa de Illéa. Queria ser a princesa de Aspen. 
Página 22

A narração é feita por America, em primeira pessoa, o que ajuda na hora de o leitor se identificar com a personagem. Além disso, o vocabulário é simples e a escrita da autora é muito fluída, tanto que devorei o livro em uma tarde, apesar de suas 351 páginas.

America é uma personagem interessante, temperamental e surpreendente e talvez por isso eu tenha gostado muito dela. Apesar de ser obrigada a participar da Seleção, ela faz suas próprias regras e não muda seu jeito de ser por causa da situação. A família dela passou por muitas dificuldades e ela sabe dar valor às coisas, assim como tem uma noção da real situação do povo de seu país.

-Lá fora... Isso acontece? As pessoas sentem fome muitas vezes? 
-Maxon, eu...
-Conte a verdade.
Os traços de seu rosto estavam firmes. 
-Sim, acontece. Sei de famílias em que as pessoas abrem mão de comida para dar aos filhos ou irmãos menores. Sei de um menino que foi chicoteado na praça da cidade por roubar comida. Às vezes, as pessoas cometem loucuras quando estão desesperadas. 
Página 250-251 

Os outros personagens também são muito cativantes, em especial a melhor amiga de America, Marlee, que é muito espontânea e divertida, e o próprio príncipe, que ao contrário de tudo o que poderíamos imaginar pelas opiniões iniciais, é sensível e consciente de muitas coisas, apesar de ser ignorante sobre as condições de algumas das castas mais baixas.

Origem da imagem


-Oi! – disse, radiante. – Meu nome é America. 
-Eu sei! – disparou a garota da esquerda, uma loira de olhos castanhos. Notei imediatamente que se tratava de Marlee Tames, de Kent. Uma quatro. Ela nem ligou para minha mão estendida; partiu logo para um abraço. 
Página 91

O final do livro nos mantém intrigados, pois America ainda está no castelo e não sabemos exatamente o que acontecerá com ela: se ela vai brigar pelo coração de Maxon ou se vai voltar para casa e viver seu amor com Aspen.

Além disso, o volume cumpre muito bem seu objetivo como introdução, ao nos apresentar o funcionamento da sociedade de Illéa e abrindo possibilidades para a continuação, deixando o leitor curioso a respeito do que virá a acontecer, pois podemos perceber que nem tudo anda às mil maravilhas no reino.

Sobre o livro físico, já comentei que acho a capa linda! A menina que escolheram para representar America é bonita e se parece bastante com a personagem. O vestido e o jogo de espelhos dão um toque bem especial à foto. A organização do texto na página também é bem cuidadosa e torna a leitura confortável.

No geral, o livro não desperta novas reflexões além das usuais das distopias, mas achei interessante o fato de a sociedade funcionar em castas, pois de certa forma isso reforça algo concreto, que é a classificação social em nosso próprio país, por exemplo. Apesar de não termos nomes ou números para definir isso, é fato que vivemos num país de contrastes e acho que esse livro pode nos fazer refletir sobre isso.

Enfim, recomendo a leitura por ser gostosa, ágil e ter um romance bem construído. Não é, das distopias que já li, a que mais levanta reflexões, mas ainda assim consegue fazê-lo e com uma história divertida e envolvente.


2 comentários:

Todas as Letras por um Tom disse...

Obrigado por sempre compartilhar coisas boas! Vontade de ir na livraria e não voltar com apenas com um livro só rs
BOA PÁSCOA!

Adriana Macedo. disse...

Eu acabei de comprar a trilogia mas ainda não chegou, estou curiosa já que todos elegiam tanto, parabéns pela resenha, me deixou ainda mais curiosa para ler a serie. Sem contar que as capas são lindas, e essa capa estilo anime *_*

Bjs
http://meupassatempoblablabla.blogspot.com.br