sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

A guerra dos tronos





TÍTULO: A guerra dos tronos – Crônicas de Gelo e Fogo vol. 1
AUTOR: George R.R. Martin
EDITORA: Leya

Finalmente comecei a ler a série Crônicas de Gelo e Fogo, depois de ter assistido duas das temporadas da série (atualmente estou acompanhando a reprise da terceira na HBO). A série, além de bem feita, é bastante fiel ao livro, e foi através dela que senti vontade de encarar essa leitura. É bem difícil resumir a narrativa, pois envolve muitos personagens e núcleos diferentes, mas vou tentar fazer isso ao longo dos próximos parágrafos. Já adianto que essa será uma resenha bem longa, em função disso. 

Tudo começa quando Lorde Eddard Stark, o senhor de Winterfell, um dos Sete Reinos de Westeros, recebe uma mensagem informando que o Rei dos Sete Reinos está vindo visitá-lo. Junto com a notícia da chegada dele, fica sabendo que a Mão do Rei, seu principal conselheiro, faleceu há pouco tempo. A visita é uma oportunidade para o Rei, Robert Baratheon, convidar Eddard para ocupar esse cargo vago. 

O senhor de Winterfell não tem vontade de assumir essa obrigação, mas depois de receber informações de que a morte da antiga Mão, que era um grande amigo, ocorreu em circunstâncias suspeitas, possivelmente com envolvimento da rainha Cersei Lannister, decide aceitar o convite e partir para a corte para descobrir o que aconteceu e para manter sua família em segurança. 



-Vou dizer-lhe que não – disse Ned quando se voltou de novo para ela. Tinha os olhos assombrados por fantasmas e a voz espessa de dúvidas. 
Catelyn sentou-se na cama. 
-Não pode. Não deve. 
-Meus deveres estão aqui no Norte. Não tenho nenhum desejo de ser a Mão de Robert. 
-Ele não o compreenderá. É agora um rei, e os reis não são como os outros homens. Se se recusar a servi-lo, ele quererá saber por que, e mais cedo ou mais tarde começará a suspeitar de que se opõe a ele. Não vê o perigo em que nos colocaria? 
Página 46. 

Ao mesmo tempo, nas cidades livres que ficam do outro lado do mar, Daenerys, herdeira dos antigos reis de Westeros cuja dinastia foi combatida em uma revolta que colocou Robert Baratheon no poder, está se preparando para casar com o senhor de um poderoso exército. O irmão dela arranjou o casamento por ter a intenção de retomar os Sete Reinos através de uma guerra. 




E o dragão talvez recordasse mesmo, mas Dany não. Nunca vira aquela terra que o irmão dizia que lhes pertencia, este domínio para lá do estreito mar. Aqueles lugares de que falava, Rochedo Casterly e o Ninho da Águia,  Jardim de Cima e o Vale de Arryn, Dorne e a Ilha das Caras, para ela eram apenas palavras. Viserys era um rapaz de oito anos quando fugiram de Porto Real para escapar ao avanço dos exércitos do Usurpador, mas Daenerys não passava de uma partícula de vida no ventre da mãe. 
Página 26.

Assim começa a disputa pelo poder dos Sete Reinos que conduzirá os personagens a destinos inesperados, surpreendendo o leitor e deixando-o cada vez mais instigado a continuar a leitura. 

Cada capítulo do livro é narrado sob o ponto de vista de um personagem e assim vamos conhecendo os diferentes ângulos das situações. 

Os personagens apresentam personalidades diversas e bem delineadas e são bastante complexos. Além disso, ao longo da história eles crescem, se modificam de acordo com as decisões que precisam tomar e com as ações dos outros.  É o caso, por exemplo, de Sansa, a filha mais velha de Stark, cuja mudança pode ser bem marcada ao longo do livro, já que ela inicia com uma visão romântica e sonhadora da vida e acaba tendo a realidade de brutalidade do mundo descoberta ao longo dos fatos. 




-Obrigada, Vossa Graça. – murmurou Sansa. Cão de caça tinha razão, pensou. Sou só um passarinho, repetindo as palavras que me ensinaram. O sol descera abaixo da muralha ocidental, as pedras da Fortaleza Vermelha brilhavam, escuras como o sangue. 
Página 526.

Os outros filhos de Eddard, Bran, Arya, Robb, Rickon e o bastardo Jon Snow também têm destaque na história e podemos reparar seu crescimento ao longo do desenvolvimento da narrativa: eles estão entre os personagens com mais destaque no livro, sendo que Sansa e Arya acompanham o pai, Jon Snow é enviado para integrar um exercito que protege o reino contra selvagens e os demais meninos permanecem em Winterfell. Gosto muito de todos esses personagens, mas tenho um carinho especial por Jon e Arya. 

Arya olhou para trás, viu Jon e pôs-se em pé de um salto. Atirou-lhe os braços magros com força ao pescoço. 
-Temia que já tivesse partido – ela disse, com um nó na garganta. – Não me deixaram sair para dizer adeus. 
-O que foi que você fez agora? – a voz de Jon soava divertida. 
Página 73. 



A esposa de Ned, Catelyn Tully, também tem vários capítulos dedicados à ela e é uma personagem muito forte, maternal e guerreira, não no sentido de portar armas, mas no de buscar defender seus filhos e seu marido, bem como de fazer com que a lei seja cumprida. 

Fora da família Stark, Tyrion Lannister, o irmão mais novo da rainha Cersei, também ganha destaque. No começo da história era um personagem de que eu não gostava, mas ele foi ganhando meu interesse à medida que os fatos foram se desenrolando por ser muito esperto e divertido. 

A história toma alguns rumos bem inesperados e surpreendentes e mesmo para quem já assistiu a série e sabe o que virá a seguir, fica uma ansiedade por continuar o texto e conferir o que vai acontecer. É impossível não ter seus personagens preferidos na história (preferidos porque eu pelo menos não consegui escolher só um) e torcer ou sofrer por eles. 

O mundo criado pelo autor é outro ponto alto da obra. Impecavelmente construído, com uma história antiga, regiões de diferentes costumes e famílias poderosas com suas próprias características e interesses, além de diversos povos e lendas, o universo de Guerra dos Tronos é tão bem descrito e apresentado que dá a impressão de ser real para o leitor. 

Apesar de haverem muitas descrições, elas não são maçantes nem muito longas, estão mais dispersas no texto, servindo realmente para situar o leitor e fazê-lo ter uma visualização melhor do contexto e da ambientação.  

O tamanho dos volumes pode assustar, mas esse é um livro tão envolvente que as páginas acabam passando rapidamente e antes do que se imagina já se chega aos capítulos finais. 

Li a versão normal e gosto da capa em tons de azul, mas particularmente acho que as capas da versão pocket são mais chamativas. Falando em aspectos visuais, não gostei muito da distribuição do texto na página, pois me parece que o texto ficou muito juntinho e esticado para os lados. Ainda assim, dá pra compreender que uma configuração mais espaçada geraria um livro com muitas páginas a mais e isso provavelmente significaria um preço muito alto e um livro de tamanho consideravelmente absurdo. 

Crônicas de Gelo e Fogo é uma série de livros para quem gosta de histórias bem construídas, com contexto bem apresentado e muitas reviravoltas. Eu amei esse livro e o devorei! Indico pra todos que gostem de livros de fantasia ou de ambientação medieval e que ainda não leram. 


3 comentários:

Leandro de Lira disse...

Oi Niki!
Eu tenho esse livro aqui, mas ainda não o li. Parece ser muito bom.
Tenho amigos que são fãs e super elogiam esta série. Espero não me decepcionar e curtir a leitura também.
O Martin parece ser um autor dos bons!
Abraço!

"Palavras ao Vento..."
www.leandro-de-lira.com

Niki disse...

Pois é, Leandro, eu fiquei com o pé atrás com a série porque todos falavam que era muito bom, mas eu duvidava. Agora estou simplesmente viciada pelos livros e pela série de TV. Acho que você vai gostar, o Martin escreve muito bem e a história é muito envolvente.

Abraços.

Adriana Macedo. disse...

Oi Niki
Nossa amei a resenha *_* ainda não li os livros mas sou apaixonada pela serie, com certeza este já faz parte da minha meta de leitura.
Bjs
http://meupassatempoblablabla.blogspot.com.br/