terça-feira, 5 de março de 2013

A lenda do cavaleiro sem cabeça e Rip Van Winkle

Ichabod Crane. Ilustração retirada DESSE LINK.

        Fazia um bom tempo que eu queria ler esse livro e finalmente me aventurei por ele. Nunca havia lido nada de Washington Irwing, mas já tinha uma ideia sobre a história graças ao filme de mesmo nome, protagonizado por Johnny Depp. Só que me surpreendi. Isso porque, como era de se esperar, o filme tem poucos pontos em comum com a versão impressa, que eu chamaria de conto.
        O personagem principal do livro é Ichabod Crane, um professor que vive no Vale Sonolento, um lugar de muitas lendas e superstições, que foi colonizado por holandeses. A lenda mais famosa na região é a do cavaleiro sem cabeça, contada em diversas versões entre seus moradores. E Ichabod, como bom fanático por esse tipo de história, adora escutar os rumores de aparições da assombração. Ele quer conquistar o coração de Katrina, a jovem herdeira de um rico fazendeiro, e isso conduzirá ao final surpreendente da história.
Ichabod Crane no filme dirigido por Tim Burton. Foto retirada DESSE LINK.

        O Ichabod do livro é bastante diferente da representação de Johnny Depp: orelhudo e magrelo, ele parece ser uma reunião de todas as qualidades impensáveis a um herói (o que, de fato, ele não é).
O conto me lembrou o estilo de Edgar Alan Poe, com longas descrições e com o elemento sobrenatural, apesar de sugerido desde o princípio da história, surgindo apenas mais próximo do final.
É uma leitura interessante e rápida, especialmente por tratar de questões como a hierarquia social. Dá pra notar uma crítica afiada em algumas das descrições de Irwing, o que certamente enriquece a leitura. Como terror, porém, não chega a ser forte. Não fiquei com medo e nem senti o mesmo tipo de emoção que nas leituras do Poe.

Rip Van Wincle. Ilustração retirada DESSE LINK.
        No final das contas, posso classificar apenas como uma leitura morna, que não chegou a empolgar, mas que não poderia considerar ruim.
        No mesmo livro, há o conto de Rip Van Winkle, que eu não conhecia e talvez por isso tenha me agradado mais. Rip é um homem submisso a sua mulher briguenta e que não gosta muito de trabalhos habituais, preferindo fazer favores pela vizinhança ou sair para caçar com seu cachorro. Numa dessas caçadas, porém, ocorre algo impensável, que muda a vida de Rip.
        Eu gostei dessa história bem mais do que da outa contada no livro e achei o elemento sobrenatural dessa mais surpreendente e também mais interessante. Talvez o fato de não conhecer nenhuma referência sobre o texto tenha tornado a leitura mais interessante.
        No geral, entretanto, esse é um livro médio, que apesar de ter duas boas histórias, não vai ficar marcado como uma leitura que adorei fazer. Isso não significa que não seja um bom livro, mas é apenas isso: bom. 

2 comentários:

HONORATO, Sandro disse...

Boa tarde :)
Legal sua analise do livro,eu mesmo nunca o li :(

Ein,a Andross vai publicar novas antologias.
Vai tentar participar?

Beijos e cuide-se
Bom final de semana

Rimas Do Preto

Camila Deus Dará disse...

Que legal! Eu não sabia que existi livro dessa história. Lembro que tinha medo do filme quando era pequena. kkkk
Fiquei curiosa pra ler agora.


Beijão :)