segunda-feira, 18 de março de 2013

A culpa é das estrelas

Página do livro no Skoob

        Estava na busca por um tipo de leitura que nem eu sabia qual. Queria ler uma história de amor, mas não queria um livro “bobinho”, clichê. E depois de tentativas de começar a ler algumas coisas, recebi a dica de A culpa é das estrelas. Eu já tinha simpatizado com ele no passado, mas como estava em plena época de provas quando isso aconteceu, nem pensei em lê-lo.
        Então, eu comecei a ler e descobri que era exatamente o que eu estava querendo.
        A narrativa é em primeira pessoa, feita por Hazel Grace, a personagem central da história. Hazel é uma adolescente que tem câncer nos pulmões e por isso dependente de cilindros de oxigênio. Ela tenta viver uma vida relativamente normal, impulsionada por seus pais, apesar de não poder mais frequentar a escola, nem desenvolver todas as atividades normais a uma garota de sua idade. Ela também precisa ir a reuniões de apoio e é numa dessas ocasiões que ela conhece Augustus Waters. Gus teve um osteosarcoma e por isso precisou amputar parte de uma perna. Os dois passam a conviver cada vez mais, enquanto têm que lidar com suas doenças, auxiliar o amigo Isaac, que acaba de ficar cego, e aproveitar o tempo que têm juntos ao máximo.

Fanart retirado daqui.
        A forma como John Green constrói sua história é arrebatadora. Hazel e Augustus não são adolescentes típicos e não vivem a história de amor típica da maioria dos romances adolescentes. Tudo nesse livro é sensibilidade e como estava lendo em locais públicos, me controlei pra não cair em prantos quando meus olhos ficavam molhados.
        Tudo se desenrola naturalmente e a história é bastante verossímil. Comecei a ler meio que desejando um final feliz de curas milagrosas ou algo assim, apesar de saber que não funcionaria dessa forma... O final dessa história não é exatamente convencional, me surpreendi com ele e gostei.
        Apesar de a história ter tudo para ser melancólica, ela não é. É uma história de amor linda e ainda nos leva a pensar sobre como pequenos momentos se tornam especiais, sobre a importância que temos no mundo e na vida dos outros. Enfim, é um livro sobre sentimentos e para despertá-los. 

3 comentários:

Rafael Castellar das Neves disse...

É...achei interessante este livro, ainda mais que você disse que não é melancólico quanto me pareceu...

[]ss

Markos Queiroz disse...

Esse foi um dos melhores livros que li ano passado, é uma história linda.

Bjão!

Isie Fernandes disse...

Ainda não li esse livro, Nick, mas tenho muita vontade. Acho até que estou me segurando para lê-lo, devido às emoções que ele me causará. Amei sua resenha! Consegui sentir um pouco mais sobre a história e agora já sei o que esperar dela. Obrigada!

Ah, não me lembro se informei a chegada do livro... Eu amei, viu? =) Vou gravar uma caixinha de correio por esses dias e aproveitarei para tirar uma foto com ele e te enviar.

Beijos,

Isie Fernandes - de Dai para Isie