terça-feira, 6 de setembro de 2011

O último suspiro: X - Refúgio


Olá, pessoal! Segue a décima parte de "O último suspiro" Tentarei postar com mais rapidez, porque ainda faltam 6 partes. Espero que estejam gostando. 

Anteriormente...:Parte 1 - Parte 2 - Parte 3 - Parte 4
Parte 5 - Parte 6 - Parte 7 - Parte 8 - Parte 9

O último suspiro

X: Refúgio
Alberto saíra outra vez. Mas dessa vez, fora uma saída brusca, barulhenta. Samuel desceu para ver que o que havia.
Erida enfrentara o marido, não deixaria que ele saísse. Então ele lhe arrancou da porta e atirou no sofá. Não era ninguém para impedi-lo. Precisava resolver um problema, ou ela é que acabaria tendo que virar da vida pra manter a casa.
Saiu porta a fora e deixou a mulher com o rosto vermelho, raiva queimando por dentro. Ia subir a escada, enfiar as coisas na mala e ir pra casa do pai. Iria ser desquitada, podia até ser mal falada, mas pelo menos se livraria de tanta humilhação diária.
Viu Samuel parado na escada, os olhos de cachorro triste. Ele deu uns passos, um abraço, um abrigo.
Deixou-se ir ficando. Samuel era tão bom, atencioso. Era preocupado com o bem dos outros. Não era bicho ruim como o irmão, que nem parecia se importar mais com nada além do dinheiro que ia e vinha de suas mãos.  
Na manhã seguinte, ignorou o marido. Tomou café e foi pra seus afazeres com o pensamento longe, fantasias boas. Devia se repreender, mas não podia.
A noite veio, Alberto foi. Bateu no quarto de Samuel. Tinha que falar-lhe, mas as palavras que queria escapavam por seus olhos.
Ele entendeu.
O beijo atormentou-a. Esperava que ele fosse fugir, era errado... Mas sentiu-se inundada de uma alegria que jamais sentira. Paixão. 

Nenhum comentário: