quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Novidades e mais um conto infantil

Olá! Abandonei por um tempinho a produção de contos, por causa de um projeto maior, uma narrativa infanto-juvenil que participará do Prêmio Barco a Vapor. Acabei ela essa semana e estou revisando e contando com a ajuda de alguns amigos próximos para fazer umas melhorias antes de enviar. Torçam por mim, sim?! Afinal, se eu ganhar, serei publicada. =]
Além disso, retomei um projetinho antigo, que estava morto há uns 2 anos: uma fanfiction dos marotos, personagens da saga Harry Potter, que já está sendo publicada no fanfiction.net sob título de "Para sempre na memória".
Dadas as notícias, hoje tenho um conto meigo pra postar aqui... É mais um infantil e espero que vos agrade:


O GATO COZINHEIRO

Júlia abriu os grandes olhos castanhos com lentidão, fechando-os logo em seguida. O sol que entrava pela janela feria sua visão. Por fim, depois de resmungar um pouco, ela sentou-se na cama.
Estranhou a camisola que usava, de um tom delicado de rosa. Não se lembrava de ter aquela roupa. Olhou para a parede e tomou um novo susto: aquele não era seu quarto! Onde estavam suas estrelinhas fosforescentes e sua parede azul clara?! Aquele quarto era todo de madeira, com vasos de tulipas vermelhas e amarelas espalhados nos cantos.
Saiu do pequeno quarto, com uma curiosidade crescente. Onde estava, afinal, e como fora parar ali?
Viu-se num corredor da mesma madeira clara e brilhosa do quarto e foi até o fim dele, indo parar numa cozinha.
Olhou para a grande mesa que havia no centro do cômodo e ficou boquiaberta. Havia sobre ela uma quantidade enorme de doces e bolos. Biscoitos de chocolate, bolos com cerejas e glacês coloridos, tortas, gelatinas... Uma infinidade de guloseimas.
-Bom dia! - Ronronou uma voz, assustando a menina.
Ela olhou para a pia e viu... Um gato! Um gato vestindo uma roupa branca e um chapéu de chef.
-Ah... Bom dia. Quem é você?!
-Meu nome é Tolousse e estou encantado em tê-la em minha casa, senhorita Júlia.
-Mas como vim parar aqui? Ontem à noite eu estava no meu quarto, na minha casa, em Porto Alegre...
-Miau... Sim. Mas agora está aqui. Como chegou não é importante. Ficará aqui por pouco tempo. Então, coma tudo o que quiser.
-Mas... Não posso comer tantos doces. Ainda mais pela manhã! Mamãe me colocaria de castigo.
-Nesse mundo onde você está, tudo isso é permitido. Não existem castigos.
-Que bom... - A menina exclamou e hesitou ainda um instante antes de sentar-se à mesa e começar a comer. Serviu-se de brigadeiros, tortas e tudo o mais que encontrou.
-Como um gato consegue cozinhar? E falar?
-Miau. Nesse mundo pode.
-Que mundo é esse afinal? Quero viver aqui!
-Miau. Esse é mundo dos sonhos e você acordará em breve...
Antes que pudesse assimilar qualquer coisa, tudo o que ela via sumiu na escuridão. Quando abriu novamente os olhos, encontrou o teto de seu quarto azul.
Ouviu um miado fraco, vindo da rua e debruçou-se na janela.
Era apenas um gato de rua qualquer, laranja e magrelo. Mas parecia com o gato de seu sonho.
Ela calçou os chinelos e saiu do apartamento com rapidez. Chegou à rua e parou perto do gato.
-Você é o senhor Tolousse?
"Miau"
-Então eu vou levar você pra casa pra comermos bolinho de chocolate com biscoitos.
E pegou o bichano nos braços, com segurança, antes de voltar a subir as escadas, tranquilamente.


Até a próxima, beijos!

Nenhum comentário: