terça-feira, 5 de outubro de 2010


Sobre o amor ou o tempo

Ver que a vida passou inteira
E ele ainda está lá
No todo, o eterno
Viajante incansável
Passeia pelas eras
Sustenta os instantes
Tateia as sinuosidades do destino
Persegue a todos e a ninguém
Aperta o peito, liberta a alma
O incansável, o eterno

Nenhum comentário: