terça-feira, 24 de agosto de 2010

Pra não passar em branco...

Boa noite!
Hoje compartilho com vocês um pequeno conto que escrevi há algum tempo atrás e encontrei perdido entre meus rascunhos. Ele foi baseado na cena de abertura do filme "V de vingança". Ultimamente, tenho escrito poucos contos, porque estou em função de um projeto maior, que simplesmente se instalou na minha mente e está me fazendo escrever páginas e páginas. Espero que ele continue assim! ^^ 
Enfim, ao conto! 

O enforcado

Ela corria com pressa. Ofegava, estava quase despencando de cansaço, mas tinha que continuar. 
Ao chegar ao fim da rua, porém, estacou. Ele estava lá. Os soldados o seguravam.
Num segundo, os olhos cor de âmbar de Marcela esquadrinharam a cena e não deixaram escapar corda pendurada na estrutura de madeira. A forca.
-NÃO! –Berrou, enquanto o soldado colocada a corda ao redor do pescoço de seu prisioneiro.
Tentou correr. Precisava impedir... Mas antes que desse um passo, um braço forte e pálido a deteve.
Ela fitou o homem de cabelos cor de areia e olhos verdes. Augusto, o noivo que seu pai escolhera, o homem com quem estava fadada a viver mesmo sem amar.  
-Me deixe ir! – Ela se sacudiu, tentando se libertar. Precisava salvá-lo, não podia deixar que fizessem...
Era tarde demais. Com um craque alto, o carrasco abriu o alçapão que havia sobre os pés do condenado e ele passou a se debater enquanto a vida se esvaia dele cruelmente.
Marcela começou a esmurrar Augusto, com raiva dele e daquela sociedade injusta, que lhe tirava a única pessoa que de fato se importara com o que ela queria e sentia.
Augusto ainda a segurava, sem se abalar com os tapas da moça. Tinha pena dela, apesar de tudo. E inveja daquele cadáver pendurado na corda do carrasco. Ele nunca a faria feliz. Ela o odiaria para sempre, a partir daquele momento.
Estava acabado...

Até mais!

Nenhum comentário: