quinta-feira, 6 de maio de 2010

O homem e sua morta

Olá! Finalmente, conto novo. Como ainda estou selecionando uns contos inéditos para enviar a alguns concursos (a gente tem que tentar a vida, neh?!), hoje compartilho com vocês um microconto:

O homem e sua morta

Fitava o corpo. Não se mexia. O homem piscava. Ela não.
Ele tocou os cabelos que penteara cuidadosamente. Ela era linda, até mesmo decomposta!
Como podiam dizer que ela se fora?!
Ele sabia, com certeza, que a alma ainda estava ali e ainda rodeava o corpo, por mais putrefeito que estivesse. Por isso, cuidava dela, mostrando todo o seu amor, ignorando as taxativas de loucura, esperando apenas um sinal, para se juntar definitivamente a ela...

Basei-me numa história real, que pode ser conferida no site Atmosfera Sombria (o link está na minha listinha). Fato impactante e prova de que o amor é o sentimento mais poderoso de todos...

Bem, vos deixo aqui! Até mais.

2 comentários:

Henrique Nogueira disse...

adorei o blog :D

Tiago disse...

Oi td bem?
Obrigado por viditar o meu blog!
Estou aqui retribuindo a visita!
E ó.. to te seguindo!
Fico feliz por ter gostado das minhas poesias!
Beijoo!
Segue o meu se puder tá!
Adorei seu blog!
Voltarei sempre!