terça-feira, 16 de março de 2010

Um estranho roubou meu coração



Antes, tudo era diferente. Quando ela olhava as flores, sentia-se alegre, e ao ver que o sol brilhava no céu, ficava feliz.
Agora, não era mais feliz. Não como antes. As cores vivas do mundo haviam desbotado. Os sons que ela outrora a encantavam, não eram mais que ecos. Seus brinquedos não tinham mais graça. Ela não acreditava mais em fadas.
Sua alma fora roubada. Tirada, arrancada dela com ferocidade e em seu lugar deixara um enorme espaço em branco.
Parecia que tinha, e não, sido há muito tempo.
O homem aparecera sorrindo e disse que brincaria com ela. Foi a tarde mais divertida para ela, brincando e rindo com ele. Um homem diferente dos outros, um que dava atenção para ela.
Quando a noite começava a cair, foram até o campo ver o pônei.
Seguiam entre os pés de trigo, a mão dela, frágil, depositada na dele, firme, até chegarem na sombra da figueira. Ali, ele propõe que sentassem para descansar.
Repentinamente, ele foi por cima dela, segurando seus braços com força, fazendo-a ficar estirada sobre a terra.
Ela disse que estava doendo e ele sorriu. Levantou a saia do vestido cor de rosa, de babados, e arrancou sua calcinha.
Sem entender, ela falava que seus braços estavam doendo. Ele se comprazia e dizia “Sch, quietinha, já vai acabar”.
Então, de repente, uma enorme dor invadiu o corpo dela, começando no meio das pernas miúdas.
Ainda pedindo que ele parasse, dizendo que estava doendo, as lágrimas começaram a correr de seus olhos em duas cascatas, enquanto ela soluçava. O que havia feito de errado?
Depois de algum tempo, ela se viu sozinha, ferida, chorando no escuro.
Desde então, não era mais a mesma. Não podia acreditar mais em contos de fada, se existia tanta dor no mundo. Seus pais estavam aflitos e ela só queria dormir. Era tarde, ela sabia.
Só lhe restava uma pergunta: para onde ele havia levado o seu coração?

2 comentários:

Danny disse...

Bah! q profundo!!!! Muito bom(ñ o q o cara fez, éh claro.shuahsuahsuh)Gostei msm!!! Bj, até sábado q vem!!!

Meg disse...

Destruir a infância e inocência das crianças desse jeito! Isso revolta, não é mesmo?
Gosto muito de seus textos, principalmente quando abordam esse tipo de assunto.
See ya!