quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Harpas...

Boa noite! Hoje temos uma poesia (ou uma esforçada tentativa) baseada num sonho que tive já há algum tempo. Sejam gentis comigo, afinal, poesias e poemas não são lá algo que eu consiga "parir" com facilidade...

A harpa



A luz do sol pela janela a entrar
A mulher iluminada a tocar
Coisa semelhante a uma harpa
De fios cheios de nós
Foi o que ele viu no fim da escarpa
E nunca ouviu nada assim antes ou após
Tamanha sinfonia de um instrumento só!


Até mais.

4 comentários:

Isabella F. disse...

Menina que lindo. Não se subestime viu e faça mais como esta ;)

Eu tenho além do Simbologia Maldita, um blog pessoal, de poesias, etc:

www.isafblog.blogspot.com ^.^

NILS ZEN disse...

Singela poesia, Nina... Siga sua aguçada intuição e, com certeza, encontrará o seu caminho no universo da poesia. Adoro ler as suas composições, viu? Abraço zen

Meg disse...

Que linda poesia, curtinha, mas linda!
A foto combinou perfeitamente.
Não há nada mais poético do que o toque de uma harpa...
(Desculpa não ter vindo aqui antes)
See ya!

João Paulo disse...

Simplesmente adorei ! *.*