quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Telefone sem fio...

Olá! Andei meio sumida por conta das tarefas da escola... Mas cá estou hoje, com um texto que surgiu de uma forma bem curiosa. Estava falando ao telefone, com meu namorado, e conversávamos sobre um projeto literário, quando eu falei em casamento (dos personagens envolvidos no projeto) e ele entendeu "encanamento", aí, pra tentar se corrigir, ele disse que poderia ser assim: o cara é traído pela mulher, com o encanador. Acabei aproveitando a ideia não no projeto, mas para escrever esse conto.

SOBRE ENCANAMENTOS E CASAMENTOS...

Oswaldo chegou em casa e largou seus materiais de trabalho sobre a mesa da cozinha. Sua esposa, Isabel, estava parada ao lado da pia, com uma expressão um tanto infeliz. Soltou um longo e resignado suspiro.
-O encanamento da pia entupiu... – Disse, como se fosse algo terrível.
-De novo? É a terceira vez na semana! – O homem se espantou.
-Eu não disse a você pra não contratar aquele tonto do Jaiminho pra fazer a obra da casa? Bem feito! Contratou aquele idiota e ele fez tudo errado! – Retrucou a mulher.
-Ta, ta. – Ele a cortou antes que começasse um discurso reclamando sobre o assunto. – Ligue pro encanador amanhã. E tenta arranjar um desconto.
Isabel deu um sorrisinho aliviado e um beijo estalado na bochecha do marido. Na manhã seguinte ligou para o encanador. Era de confiança, ela dizia, sabia muito bem como fazer o serviço. Ele viria às 13 horas.
Quando voltou para casa, naquela noite, Oswaldo não encontrou a esposa na cozinha. Não a achou em lugar nenhum.
Onde estaria Belinha?
Notou então, que um bilhete tinha sido fixado na porta da geladeira, com um imã em forma de fruta. Pegou-o e leu:

“Querido Oswaldo, sinto muito, mas estou indo embora. O problema em nossa casa não era o encanamento da pia e sim o nosso casamento. Quando a pia estragou, há três meses atrás, conheci o Valdemir e simplesmente não resisti...Aquele cara bonitão, me chamando de Dona Belinha... O dinheiro dos consertos da pia nos últimos meses eu guardei e agora estamos indo embora, nós dois. Lamento muito...


Isabel”

Chocado, o marido deixado se largou no sofá da sala, onde ficou por alguns minutos, em silêncio, tentando entender.
Batidas na porta o tiraram do estado de torpor e ao atender, ele se viu diante de Isaura, a irmã mais nova de sua esposa foragida.
-Olá! – Ela falou. – Onde está Isabel?
Oswaldo lhe explicou.
Ela ficou tão surpresa quanto o cunhado e tentou consolá-lo, dizendo que a irmã sempre fora uma besta mesmo.
Um Ano se passou desde a fuga de Isabel. Oswaldo está bem. Ele e Isaura estão namorando e até então não tiveram nenhum problema com o encanamento.

Tentei usar do meu lado mais humorístico pra escrever, mas não sou muito boa com isso, então, me perdoem se não estiver bom.
Bjos e até a próxima.

Um comentário:

Marte disse...

Gostei, principalmente na parte onde o marido pergunta de novo? Esse encanamento é um tanto complicado.. :)
Bem seguindo que ela foi embora ser feliz e ele ficou com a irmã mais nova dela.
Ficou ótimo Niki parabéns.