terça-feira, 28 de julho de 2009

Lithium

Mais um conto. Esse é bastante antigo, um dos primeiros que escrevi, nos tempos em que eu ainda ouvia Evanescence (vocês devem ter notado que o título é baseado numa música da banda). Vocês vão notar que tenho certa tendencia a dar nomes de músicas ao que eu escrevo. Geralmente a música é o que me dá a ideia do conto... Enfim, aí vai e espero que gostem.

Lithium

Ana estava sentada no sofá da sala, assistindo televisão e fazendo as unhas. Virava a cabeça para a janela a toda hora. Augusto, seu marido, ainda não havia chegado da rua. "Deve estar fazendo cerão" - pensou.
Continuou a lixar as unhas, olhando a novela, quando a porta da sala foi aberta.
-Boa noite, querido. – Ele disse, ao ver o marido - Onde você esteve? Teve cerão hoje?
Mas ao aproximar-se dele, Ana percebeu, triste, que ele não havia trabalhado mais naquela noite. Podia sentir o cheiro do álcool entranhado nas roupas e na pele do homem, um cheiro que ela estava acostumada a se sentir.
Deu um suspiro pesado ao constatar isso.
-Não me diga que você andou no bar, bebendo de novo?! - Havia desapontamento em sua voz.
-Isso não é da sua conta, mulher! - Ele retrucou rispidamente, enquanto batia a porta e jogava o casaco sobre a mesa da cozinha.
-Por que você faz isso comigo? - Ela perguntou isso mais para si mesma do que para ele, com a voz baixa, mansinha.
-Cala a boca, mulher! Não vê que estou com dor de cabeça! - Ele resmungou.
-Está com dor de cabeça porque bebeu demais! - Ela deixou escapar. Céus, não podia ter dito aquilo! Ele ficaria zangado com ela.
-Não pedi a sua opinião, mulher! - Ele disse arrastando os pés até a o quarto.
Ana voltou a sentar-se no sofá, e olhou para a porta do quarto, sentindo-se triste por aquilo ter acontecido. Já estava acostumada a vê-lo chegar tarde e bêbado, e já sabia o que podia acontecer se eles brigassem feio... Não queria que acontecesse de novo. Então ficava calada.
Minutos depois, Augusto aparece na porta.
-Vem cá me fazer companhia. – Disse, em tom de manha.
Ela desligou a televisão e se levantou do sofá, seguindo até o quarto. Sabe o preço de uma negação. Não quer brigar, ama Augusto e não quer que ele fique zangado com ela.
E quando Augusto ficava zangado... Ah, ela sabia que não era nada bom.
Foi até o quarto, e enquanto o marido a beijava, ela sentiu os olhos marejados, segurando lágrimas que ela não podia deixar correr.

Well, também queria agredecer aos comentários. Fiquei bastante contente ao lê-los ^^. Até a próxima.
Bjos

8 comentários:

Carol disse...

Nina! Desculpe por não vir antes! ^^' AMEI o seu novo blog, fico feliz que vc ainda visita o meu! Meu pai ouvia Evanescence, é meu PAI! OAIEOAIEOAIE, amei o conto mto legal! Gostei mesmo. Even more kisses

Niki disse...

Que bom que gostou, Caah! ^^ Minha mãe também ouvia Evanescence... E hoje em dia ela escuta Nightwish comigo numa boa. =P Pode crer que vou continuar visitando seu bloguinho, vice?! Adoro suas dollzinhas.
Bjo e obrigada pela visita.

BiahH & CahH disse...

Ameey o conto Niiki.Acho que em muitas familias é assim,mesmo o homem bebendo ou ate mesmo agredindo a mulher o amor muitas vezes prevalece!
BEIJOS!

Niki disse...

O objetivo era esse mesmo Biah... Mostrar essa realidade triste e não muito distante... Quanto a "amor" prevalecer... Imagino que seja muito mais medo do que amor... Ou então uma coisa nostalgica, uma lembrança do amor que já existiu um dia...
Bjo

Meg disse...

Outra obra de mestre! Seu futuro tá garantido! Achei muito legal você ouvir uma música e ter inspiração pra escrever um conto. Quero ler mais!
See ya!

Niki disse...

Obrigada pelos elogios Meg ^^. Fico feliz que esteja gostando.
Bjo

Alissa-chan disse...

Perfeita!!!!!Se vc continuar assim,pode ter certeza de seu sucesso,quando eu li esse conto eu senti a realidade superando a fantasia,e o amor em meio a um jogo sendo cortado pedacinho a pedacinho,sendo substítuido pelo medo,adoro seus contos^^,pode ter certeza que eu vou visita-lo e continuar enchendo seu saco :P,Bjitos e Cheetos!!!!

Niki disse...

Oi Alissa, pode continuar enchendo o saco a vontade. Adoro isso ^^ E pode ter certeza que só me faz sentir mais vontade de escrever e postar aqui. (isso vale pra todos que comentam...). Valeu.
Bjos